O que é preciso para ser um grande líder hoje? As 5 principais características, segundo Daniel Newman

Gestão e Liderança

O que é preciso para ser um grande líder hoje?

Ouvir este conteúdo no Podcast Liderança que transforma

Estamos todos atrás dessa resposta, investindo tempo e recursos financeiros em desenvolvimento pessoal, na formação do nosso time, no treinamento de habilidades que, antes, nem sonhávamos que seriam necessárias.

No mundo atual, global, digital, dinâmico, com um fluxo veloz de informação e de inovação, as antigas práticas de liderança, baseadas em rigor e autoritarismo, já não servem mais.

Liderar é influenciar pessoas em suas ações e construir com elas um fluxo de pensamentos que favorecem objetivos em comum. E, para acompanhar as transformações do futuro, sabemos que precisamos ir além do que estamos acostumados, do que é conhecido e/ou do que é confortável. 

Talvez a principal pergunta que devemos nos fazer seja se estamos olhando para a direção que vai nos antecipar e nos preparar para a próxima mudança, tanto com relação aos modelos de negócios quanto com relação à nossa vida pessoal. 

Liderar para as mudanças do futuro é escolher o que estamos fazendo no dia de hoje. É construir hoje o repertório para o amanhã, com consciência e persistência. Com quem estamos passando tempo? Sobre o que temos conversado? O que estamos lendo? Que cursos estamos fazendo?

Grandes líderes não esperam acontecer. Em uma matéria publicada na Forbes, Daniel Newman identifica 5 características comuns que todo líder deve ter em mente para que suas organizações não apenas mudem, mas prosperem na mudança:

Conheça as 5 características do líder de sucesso:

1. Propósito e objetivos claros

Nós somos seres resistentes à mudança. Por esse motivo, além das justificativas mais globais sobre a necessidade de transformação, devemos ter em mente uma razão e uma força motriz grande o suficiente para mantermos o foco.

Ter propósito e objetivos claros, tanto pessoais quanto para a empresa, é manter a nossa motivação acesa para melhores práticas na liderança do nosso time. Tenho percebido nos workshops que facilito que a falta de clareza de propósito e objetivos claros, tem levado o time a falta de engajamento. 

2. Pensamento avançado com foco nas oportunidades

A mudança do futuro começa a acontecer agora. Os líderes ágeis se ocupam em identificar sinais e oportunidades que possam trazer inovação, ideias e transformação. Isso significa ocupar o seu tempo de forma atenta e também dar espaço para que o seu time contribua. 

Boas ideias precisam de reconhecimento e uma equipe precisa se sentir segura para ousar e experimentar novas práticas. Isso se constrói com espaço para ouvir, com incentivo ao sucesso bem como o reforço do que se aprendeu com o fracasso.  Desta forma, cria-se um ambiente dinâmico, de coragem, que se arrisca e sai do comum. 

Um caso clássico no ambiente organizacional, entre tantos outros, é a Blockbuster que rejeitou a proposta da Netflix e acabou falindo. Além de não estar atenta ao novo mercado, se fechou na proposta de parceria.

3. Consertar o que está quebrado

Muitas vezes o problema não está na superfície. Algo que parece funcionar perfeitamente pode não estar operando no seu potencial máximo. Desta forma, o líder ágil tem em mente que não só o que está quebrado precisa ser consertado, mas é preciso um olhar atento ao que pode ser melhorado nos processos, prevendo falhas e antecipando ações.

Como líder, você precisará discutir as áreas problemáticas com sua equipe, tomar algumas decisões difíceis e direcionar sua equipe para a colaboração. Este é o primeiro passo para ser aberto e honesto sobre o que pode estar atrasando seu negócio.

Temos dificuldade em sair da zona de conforto, as vezes preferimos em manter processos que claramente não funcionam, para não enfrentar a dificuldade. É preciso ter coragem! As estruturas organizacionais do futuro precisam disso.

4. Correr riscos

Não só na teoria, mas também na prática, os líderes ágeis estão dispostos a correr riscos. Pois sabem que neles surgem as oportunidades que levam à diferenciação e inovação. Correr riscos também inclui preparação emocional para lidar com críticas externas sobre suas novas ideias. 

Quando você encontra uma oportunidade que envolve risco como reage? Você coloca muitos questionamentos e se afasta ou você mergulha e aprende com o processo? 

Qualquer inovador lhe dirá: do fracasso vem o sucesso.

5. Parcerias e redes de apoio

Para executar qualquer ideia precisamos de colaboradores. Formar e inspirar um time envolve alinhar os objetivos da empresa aos objetivos de seus colaboradores. E, para ir além e inovar, é preciso um time diversificado. Com pessoas diferentes de você ao seu redor, você terá maior repertório para tomar uma decisão e para o desenvolvimento de novos processos.

Um líder ágil não tem medo dessa parceria e de uma equipe que traz ideias diferentes da dele. Abraça de frente com abertura e diálogo.

É muito interessante observar que há alguns anos atrás preferíamos ser proprietários da informação, do conhecimento e atuarmos isoladamente. Hoje este modo de pensar já não funciona mais. Tenho atuado de maneira independente nos últimos anos e as parcerias tem sido uma grande oportunidade para meu desenvolvimento.

É preciso persistência

Desenvolver essas cinco características não é tarefa fácil. Levará trabalho – trabalho duro – para de fato sustentarmos uma mudança. Mas os líderes ágeis que dominam essas características estarão bem acima da concorrência. 

Persista mesmo que o desafio interno possa ser grande demais. Você se tornará um líder inspirador, que moverá pessoas para as mudanças do futuro. 

Qual destas características você já possui?


Por Fabiana Mello – Coaching, consultoria e treinamentos

Últimas Atualizações:

Menu